União Europeia vai prestar ajuda financeira para conter crise do povo Yanomami, diz vice-presidente da comissão


Segundo Frans Timmermans, valor do repasse será de ao menos 500 mil euros. Levantamento do governo brasileiro mostrou que 99 crianças morreram em 2022 por desnutrição, pneumonia e diarreia. Crianças Yanomami resgatadas neste domingo, 22 de janeiro de 2023
Weibe Tapeba/Sesai/Divulgação
O vice-presidente executivo da Comissão Europeia e líder das negociações climáticas da União Europeia, Frans Timmermans, disse que a União Europeia prestará ajuda financeira ao povo Yanomami, que enfrenta uma crise sanitária no estado de Roraima.
A informação foi dada durante entrevista à TV Globo nesta segunda-feira (23). Frans Timmermans cumpre agenda no Brasil.
Ele afirmou o valor deverá ser de 500 a 750 mil euros e será usado para ajuda médica e nutricional aos indígenas, entre outras prioridades. O departamento de Ajuda Humanitária da Comissão Europeia (ECHO) ficará responsável pelo repasse.
“Vamos dar esse apoio, vamos decidir ainda hoje”, disse. “Eu acho pessoalmente, como pai e avô, tão difícil de aceitar que crianças de 1 ou 2 anos estão morrendo por dia. Eu quero que todos nós façamos algo a respeito.”
Frans Timmermans chegou neste domingo (22) ao Brasil e teve reuniões ao longo desta segunda com:
o vice-presidente Geraldo Alckmin;
a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva;
a ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara;
e o ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida.
“A União Europeia realmente quer fazer parte em levar infraestrutura para essas pessoas. Precisamos criar um futuro para elas, precisamos lutar contra o fato de elas estarem desesperadas nessa situação”, afirmou Timmermans.
“Também precisamos do conhecimento e expertise para levar coisas que elas querem e precisam, porque as pessoas Yanomami têm demandas diferentes de outros povos indígenas no Brasil”, completou.
O que está acontecendo com o povo Yanomami?
Emergência de saúde pública
O Ministério dos Povos Indígenas informou que 99 crianças Yanomami morreram no ano passado e as principais causas são desnutrição, pneumonia e diarreia.
A pasta estima que ao menos 570 crianças foram mortas pela contaminação por mercúrio, desnutrição e fome. O g1 solicitou o período em que as mortes ocorreram, no entanto, apenas as mortes registradas em 2022 foram divulgados até a última atualização desta reportagem.
Por conta dos números alarmantes, Ministério da Saúde decretou emergência de saúde pública para enfrentar à desassistência sanitária das populações em território Yanomami.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) visitou Boa Vista (RR) para acompanhar os trabalhos de ajuda aos indígenas e decretou a criação Comitê de Coordenação Nacional. O órgão deverá discutir e adotar medidas em articulação entre os poderes para prestar atendimento a essa população.
Em visita aos Yanomami em RR, Lula promete melhorar tratamento a indígenas

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: