Mosaic vê estoques de fertilizantes altos demais para reiniciar mina canadense

Lamporpla_Gettyimages

Lamporpla_Gettyimages

Brasil e EUA estão influenciando mercado de fertilizantes no mundo

A produtora de fertilizantes Mosaic não vê atualmente as condições de mercado adequadas para reativar totalmente sua mina de potássio canadense, diante de altos estoques nos principais mercados dos Estados Unidos e Brasil, e clima frio diminuindo movimento de trem do nutriente agrícola do Canadá, disse o presidente-executivo, Joc O’Rourke, hoje (26).

A Mosaic reduziu a produção de potássio em dezembro em sua mina de Colonsay, Saskatchewan, mas disse então que esperava reiniciar no início de 2023.

LEIA MAIS:  Fertilizantes: o que são e de onde vêm?

“É apenas uma questão de começar a ver os estoques caindo”, disse O’Rourke em entrevista à Reuters. “A última coisa que queremos é iniciá-lo, operá-lo por um mês e meio e ter que desligá-lo novamente.”

O’Rourke se recusou a ser mais específico sobre o prazo para reiniciar a mina, que estava produzindo a uma taxa anual de 1,3 milhão de toneladas quando foi fechada.

A primavera é a época do ano mais movimentada na América do Norte para aplicações de potássio, antes do plantio.

Os produtores de fertilizantes à base de potássio estão apostando em um retorno aos preços estáveis em 2023, depois que a demanda decepcionante no final do ano passado nos Estados Unidos e no Brasil forçou alguns como a Mosaic a desacelerar a produção.

Os preços do potássio inicialmente dispararam no ano passado, contribuindo para a inflação dos alimentos, depois que a Rússia invadiu a Ucrânia, levando os países ocidentais a emitir sanções ao sistema bancário da Rússia que desaceleraram suas exportações de potássio.

Fonte: Forbes Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: