Comportamento passivo-agressivo: dicas para superar

Getty Images

Getty Images

Muitas vezes optamos por nos comportar de modo passivo-agressivo para esconder o que realmente sentimos.

A agressão passiva normalmente ocorre quando acreditamos que alguém se aproveitou de nós. Abrange muitas emoções diferentes, como raiva, frustração e mágoa.

Por acreditarmos (em algo real ou imaginado) que não podemos ser honestos e dizer o que sentimos no calor do momento, muitas vezes optamos por nos comportar de modo passivo-agressivo para esconder o que realmente sentimos.

Fechar a comunicação em situações como essas pode levar a uma hostilidade total. Também pode causar uma ruptura de longo prazo em nossos relacionamentos íntimos.

Leia mais: Três passos para lidar com um parceiro que faz gaslighting

Como muitos padrões comportamentais desadaptativos, geralmente é mais fácil identificar a agressividade passiva nos outros do que em si mesmo. Se você suspeitar que seu comportamento pode estar beirando a agressividade passiva, faça a si mesmo as seguintes perguntas:

  • Você evita as pessoas com quem está chateado?
  • Você para de falar com as pessoas enquanto as mantém em sua vida quando está com raiva delas, como forma de punir os outros?
  • Você usa sarcasmo mais do que linguagem direta para evitar se envolver em conversas significativas?

Se você acha que utiliza a agressividade passiva em seus relacionamentos de forma prejudicial (e, não se preocupe, todos nós fazemos isso de vez em quando), aqui estão algumas maneiras de corrigir isso.

1. Concentre-se no aqui e agora em vez de usar palavras generalizantes

Tente não usar palavras como “sempre” e “nunca”. Em vez disso, concentre-se no momento presente.

Quando sentimos raiva, tendemos a operar de maneira binária, preto e branco. Como resultado, corremos para julgar ou generalizar demais as ações de outras pessoas, dizendo coisas como: “Você sempre ignora meus sentimentos” ou “Você nunca assume a responsabilidade”.

Nessas situações, reserve alguns momentos para se acalmar, respirando fundo algumas vezes e reformulando suas declarações.

Um estudo publicado no Journal of Marital and Family Therapy descobriu que a atenção plena (ou mindfulness) contribui para uma maior satisfação no relacionamento íntimo, promovendo repertórios emocionais mais hábeis.

Por exemplo, em vez de atacar as pessoas, você pode dizer: “Eu estava tentando dizer algo e você me interrompeu. Posso terminar o que preciso dizer?”

Leia mais: 4 coisas para considerar antes de dar uma segunda chance a alguém

2. Tome medidas para prevenir a agressividade passiva. Reconheça e gerencie seus gatilhos.

Tome medidas preventivas sempre que possível. Se você vai interagir com alguém que tem potencial para inflamar uma conversa normal, você pode avisá-lo com antecedência.

Por exemplo, se você tem um amigo que faz barulho e isso o incomoda, você pode dizer: “Ei, estamos indo para o hospital, lembre-se de manter o silêncio”.

A raiva não pode ser totalmente eliminada. No entanto, ao optar por alterar como essas ocorrências afetam você e como você reage a elas, você pode evitar o impulso de recorrer a um comportamento passivo-agressivo.

3. Não deduza. Comunique-se honestamente sobre o que funciona para você.

É essencial que você entenda suas emoções e descubra maneiras apropriadas de comunicá-las se quiser acabar com o comportamento passivo-agressivo.

Seja sincero sobre o que funciona para você. Falar sobre seus sentimentos o ajudará a encontrar clareza e fornecerá o espaço necessário para resolver o atrito. Processar situações interpessoais difíceis com um terapeuta ou conselheiro pode ajudá-lo a obter clareza mais rapidamente.

Embora o conflito seja um aspecto inevitável da vida, entender como se expressar com sucesso durante o conflito pode levar a resultados mais favoráveis.

Considere falar com seu agressor usando declarações “eu” em vez de declarações “você”, o que faz parecer que você está ignorando suas responsabilidades.

Use frases como: “Não gosto quando você faz piadas em situações sérias. Eu entendo que pode ter parecido engraçado para você, mas você poderia esperar que a tensão passe antes de fazer essas piadas no futuro? Isso me deixa desconfortável”.

Conclusão sobre controlar o comportamento passivo-agressivo

Por mais estranho que pareça, a agressividade passiva geralmente vem de um bom lugar. Você está tentando não intensificar uma situação que o incomodou. Infelizmente, não podemos disfarçar nossas verdadeiras emoções para sempre e elas acabarão encontrando uma maneira de vazar. Portanto, é melhor ser direto e honesto numa situação de conflito.

É o caminho mais rápido para uma resolução mutuamente benéfica.

Leia mais: Estudo sugere que é possível aumentar resiliência ao estresse

Mark Travers é colaborador da Forbes USA. Ele é um psicólogo americano formado pela Cornell University e pela University of Colorado em Boulder. 

Fonte: Forbes Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: