Bebê retirado da família pela Justiça e que foi registrado só no nome da mãe poderá ter o nome do pai


Miguel Santos de Souza, que ainda segue no abrigo, poderá ter o documento revisto assim que Wagner Sarmento Júnior retirar sua documentação. Registro de Miguel: documento poderá ser revisto em breve
Reprodução
O bebê Miguel, que nasceu no dia 16 de janeiro em um ônibus e foi retirado da família por ordem da Justiça, poderá ter o nome do pai em breve em sua certidão de nascimento. Ele foi registrado na terça-feira (24) só com o nome da mãe, Camila Santos de Souza, já que o pai, Wagner Sarmento Júnior, não tem documentos.
Mas, segundo o advogado Flafson Barbosa, que está ajudando a família, o documento poderá ser revisto, assim que Wagner obter sua documentação.
“A partir do momento que o Wagner tirar a documentação dele, o nome dele vai ser incluído na certidão do Miguel. Na das outras crianças [ o casal tem ainda mais três filhos], a documentação já deve sair certinha com o nome do pai e da mãe”, explicou o advogado.
Parte do drama vivido pela família da Zona Oeste do Rio de Janeiro se deve exatamente por causa da falta de documentação. Segundo Camila e Wagner, um incêndio em uma comunidade em que viviam consumiu a documentação dele e a dos outros filhos do casal.
Sem isso, eles não conseguem matricular as crianças em escolas, comprovar vacinação e foram apontados como negligentes pelo Conselho Tutelar.
Como não regularizam a situação, foram apontados pela Justiça como reincidentes na negligência e perderam a guarda de Miguel e chegaram a sofrer a ameça da perda da guarda das outras três crianças.
Os pais alegam que são pobres, não têm empregos e fazem pequenos serviços para sobreviver, o que dificultaria a saída para a retirada de documentos.
Camila e Wagner: sonho de reaver Miguel e reunir a família
Arquivo pessoal
Advogado ajuda o casal
A terça-feira (24) marcou ainda a entrada do advogado Flafson Barbosa no caso. Ele viu a história de Camila e Wagner e se sensibilizou com a história e o drama do casal.
“Eu me sensibilizei com a história e resolvi ajudar o casal. Entrei no caso hoje e já conseguimos movimentar bastante coisa no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). Eles viabilizaram a certidão do Miguel, a certidão do pai e devemos ter a certidão de nascimento dos outros filhos em breve também”, contou Flafson Barbosa.
O advogado também explicou que os outros filhos do casal não vão ser retirados deles, uma vez que eles estão regularizando a situação das crianças, e que os filhos de Wagner e Camila são vacinados.
“Se você olhar no bracinho deles, por exemplo, todos têm a marquinha da BCG. Eles não tem a carteirinha, que queimou no incêndio em que o Wagner também perdeu os documentos, mas são vacinados, sim”, disse.
Bebê deve voltar para a mãe
O advogado acredita ainda que, com a regularização da documentação da família, o bebê Miguel deve voltar em breve para os pais.
“A Camila ainda não pôde vê-lo, mas com a certidão de nascimento feita em seu nome, está muito confiante de que vai reaver o filho. Estamos agora trabalhando para sanar as pendências mostradas pela Justiça”, disse.

Fonte: G1 – CNN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: